terça-feira, 31 de dezembro de 2013 - 0 comentários

E mais um ano se foi - 2014 está aí...


2014 - um ano diferente, um ano de muita mudança...


De 2013 não se leva praticamente nada: o que aconteceu fica, as magoas, a dor e os dissabores ficam ausentes e guardados no livro do passado, bem como aquilo que nos aconteceu e que nos fez crescer. Apenas o que se leva são os verdadeiros amigos e familiares que nos foram apoiando ao longo do ano, uns mais presentes do que outros.. 2013 para mim foi um ano muito difícil e duro, não foi fácil escapar a tanta coisa que foi acontecendo uma após a outra ao longo do ano…mas cá estou com força e garra para lutar que aquilo que quero, pela minha vida, independência, e por tudo aquilo que tiver de ser. E antes de mais, peço desculpa por qualquer coisa a alguma pessoa que tenha feito sem a intenção de a magoar ou ofender. Acredita que momentos melhores chegarão um novo ano está à porta e pode-se sempre (re)começar de forma diferente, fechar um livro e abrir outro completamente em branco.
Despeço-me de 2013 deixando primeiramente, um grande obrigado do fundo do coração àqueles que me acompanharam, estiveram ao meu lado direta ou indiretamente, mais ou menos presentes mas o que importa é que estiveram lá quando necessitei.

Obrigado a ti, sim a ti foste a melhor coisa que poderia ter acontecido este ano (a única boa e da qual tenho um carinho muito especial), desde que te conheci, desde aquele dia, aquelas duas simples palavras “Queres companhia?” fizeram mudar o meu dia (14-12-2013) e com o passar do tempo, fazes sem dúvidas a diferença na minha vida, nunca pensei em isto acontecer (quando tudo parecia tão mau), em te conhecer…em querer saber mais e mais de ti… tocaste-me e marcaste-me de uma forma muito especial, com palavras simples mas que me tocaram lá dentro no coração, era tudo aquilo que eu precisava de ouvir depois dos últimos tempos…raros ou escassos foram aqueles que vieram ter comigo e perguntaram-me isso ou simplesmente “Está tudo bem contigo? Vejo que não estás bem? Queres desabafar? Já te conheço, conta lá!” depois de ver um estado meu no facebook: “Someone else...
Someone who like to be on my side every time, night, moment... — a sentir-se sozinho.”
Dizem-me e considero estar certo: “Quando menos se espera é aí que tudo acontece, não serve de nada fazer planos, nem procurar um amor para a vida, pois nada dura eternamente, sempre mais vale deixar tudo acontecer a vida correr, e tudo surgirá a seu tempo, nos momentos certos! ” (Todos precisamos de amor, afeto, ternura, carinho, … nas nossas vidas.)

E que contribuam todos positivamente na minha vida… que a cada dia que passe eu mantenha aquele sorriso característico de felicidade nos lábios, é difícil sim, e muito (dado o que se tem passado ultimamente) mas se não for com o sorriso nos lábios, pelo menos tentarei aproveitar ao máximo o que a vida tiver para me dar! Todos podem ajudar, mas em especial, TU, tu podes contribuir e muito: Sei que vou andar sempre de sorriso na cara mesmo que o mundo em redor esteja a cair-me em cima, por seres o meu suporte, por seres verdadeiro, fiel, autêntico, amorável, por saber que posso sempre contar contigo, sei que te tenho sempre a meu lado seja quais forem as decisões que eu tomar, tão perto mas ao mesmo tempo tão longe, dás-me tudo aquilo que preciso: aquele abraço, aquele beijo, aquela atenção, aquele arrepio, aquele carinho, aquela ternura, aquela doçura, aqueles miminhos, aquela doida e louca paixão.... (não há palavras para exprimir o tão bem quanto estou agradecido por te ter conhecido) ...
E tenho muitos objetivos: Quero ganhar, lutar por mim, pela minha vida, e desta vez não cedo a chantagens nem a jogos sujos, a vida é minha, o futuro é meu - escolho o que quero e quem decide sou EU, faço o que bem entender, saiu e ando com quem eu quiser, e ninguém pense que me vai impedir nem limitar-me de fazer o que mais quero…não permitirei tal facto vir a acontecer! E conto plenamente contigo para me fazer feliz - o rapaz mais feliz do mundo, e sem esquecer os amigos e família que me tem apoiado ao longo desta longa e intensa caminhada, bem marcada…que parece não ter fim, mas terá!

2014. É um novo ano. É tempo de começar outra vez. Pará de pensar no que vais fazer e começa a fazê-lo. É tempo de viveres a tua vida e seres tu mesmo. Esquece o que aconteceu em 2013 e segue em frente. Corre riscos e sê tu próprio, tu tens apenas uma vida, e é hora de tirares o máximo partido dela. Pede um desejo para o ano novo e desta vez tens de o conseguir, não importa que custo terá.

Gostava imenso de pedir a todos, neste ano novo 2014 que aí vem (sei que algumas das coisas são um pouco improváveis de acontecer contudo não custa tentar e exprimir o meu desejo de realização, pode não ser neste 2014 mas num futuro próximo) o seguinte: “Olhemos todos à nossa volta, pensemos e reflitamos: Estamos no tempo certo, vamos revolucionar a humanidade, dar um pouco e o melhor de nós ao mundo, sendo verdadeiros e autênticos, fazendo a diferença, contribuindo todos com um pouco de si próprios (mesmo pouco serve, é melhor do que nada) e veremos que se cada um de nós der o seu contributo por um mundo melhor conseguimos chegar bem longe e fazer do mundo o melhor sítio que alguma vez conhecemos, porque não?”

Peço que o mundo fosse um lugar melhor para todos viverem em paz, em dignidade, em direitos, em amor uns com os outros, todos os seres são pessoas e nascem pessoas por isso deveremos tratar todos com igualdade. Que não houvesse falsas promessas que não possam ser cumpridas, que não haja sorrisos e abraços falsos que depois nos são espetados na alma. Que não sejam julgadas nem maltratadas pessoas pela sua condição social, aparência, orientação sexual, raça, cor, …
Vamos valorizar as pequenas coisas, aqueles que nos querem bem. Espalhar amizade, amor, bons sentimentos…esperança, luta, fé. Respeitar todos, cada crença, cada diferença, cada cor, cada pessoa… Que cada momento do novo ano, seja repleto de cores, de ilusões, de histórias, de vivência. Cada dor, ou cada lágrima derramada que seja transformada em esperança de um dia melhor. Só nos podemos agarrar aos que verdadeiramente importam os nossos familiares que nos querem bem, os verdadeiros amigos e aqueles que mais amamos e admiramos. Para mim a vida é uma breve passagem, da qual não passa de uma folha branca, que nunca chega a ser pintada pois tudo não passa de uma realidade que não existe, que todos sonhamos, que todos inventamos, imaginamos ou fantasiamos, e que por telepatia a todos nos une. Sendo assim, de nada serve usar o mal, a inveja, a raiva, o ódio ou a mentira para atingir os nossos fins porque mais cedo ou mais tarde, tudo volta a ser branco para cada um de nós e recomeçamos…com uma página completamente em branco, acrescentada ao livro da vida!

Em 2014 reserva-se um ano cheio de muita esperança, paz, amor, amizade, vivência, calor humano, afeto, ternura, reconciliação, paz, humildade, fé, (…) E no meu coração está presente a esperança de um mundo ainda melhor (aos poucos e poucos vamos fazendo a diferença e caminhando para isso), cheio de muito bons momentos, de coisas boas, de alegrias mas também de tristezas (a tristeza faz-nos crescer em pessoa e em ser, ensinando a sermos pessoas mais fortes, mais seguras de si próprias, a saber viver), nem tudo na vida pode ser perfeito (e a verdade é que nada na vida é perfeito nem há de ser), há que haver um pouco de tudo, muitos sorrisos mas alguns choros pelo caminho, muita paixão, muito amor (que todos os casais se possam amar e se mantenham unidos), carinho, afeto, harmonia, ternura, amizade mas verdadeira, … Que prevaleça o bem!

Desejo a todos os meus amigos, conhecidos e familiares um excelente 2014, que seja muito melhor que 2013 e que os vossos desejos de ano novo se concretizem. Que os sonhos não fiquem de parte. Que o amor, carinho, afeto seja transformado em paz e que abafe a guerra pelo mundo inteiro. Que haja dinheiro para todos sobreviverem e sustentarem as suas famílias. Que haja trabalho para quem necessita tanto dele. Que o mundo seja um local melhor para todos os seres viverem. Que a vida seja bem vivida e aproveitada enquanto a temos. Que o mundo seja colorido. Que 2014 seja recordado com alegria e emoção pelos nossos feitos, pelas nossas conquistas e vitórias. Nunca, nunca é tarde, lembra-te sempre disso...vamos começar por fazer mudanças no primeiro dia do ano e VAMOS CONSEGUIR MUDAR O MUNDO!

Em 2014: Escolhe a cor. Escolhe a paixão e borboletas que tens no estômago. Escolhe fazer alguma coisa. Escolhe trabalho através de carreiras. Escolhe a tua família. Escolhe um cabelo maluco. Escolhe liberdade. Escolhe os amigos. Escolhe comer o que mais gostas. Escolhe um chapéu cor-de-rosa num dia nublado. Escolhe dizer o que tu realmente sentes. Escolhe chuva. Opta por não ouvir as pessoas chatas. Opta por vestir o que tu amas. Escolhe nenhuma política. Escolhe os teus sonhos. Escolhe o teu estilo pessoal através da moda. Escolhe ter diversão. Escolhe a vida. Escolhe a esperança. Escolhe aquilo que tiveres na tua cabeça.

FELIZ 2014 - QUE SEJA O ANO DAS VOSSAS VIDAS!
sexta-feira, 27 de dezembro de 2013 - 2 comentários

Mudanças a caminho...


As coisas estão complicadas tenho tentado não dar valor às coisas negativas ..mas é bem complicado ... é porque eu fui ensinado de uma forma tão má pelos meus pais, que tudo era importante e que só eles interessavam, que as outras pessoas eram isto e aquilo e não prestavam para nada, e eu tento não dar importância, mas o problema é eles serem os meus pais e me fazerem o que fazem...foram seres que me viram crescer!

Passei o pior Natal de sempre...o pior de todos os tempos: a família não passou o Natal junta, nem soube a Natal!
E não tive alguém com quem falar, estive completamente só...a certa altura fui para a cama solitário... Foi dos piores Natais que podia ter passado...a família anda desunida, querem pôr uns contra os outros, e mandam bocas desagradáveis.. E depois acredito que as pessoas fartam-se de certas cenas (dos meus pais é claro) ... Antigamente passava o dia de Natal com primas e tias... conversávamos, jogávamos jogos, comíamos, víamos filmes, ... Era fantástico! E não houve nada disso...tive de aturar gente tonta, discuti com meus pais porque pegaram comigo por tudo e por nada, uma tia perguntou-me pela minha namorada disse-lhe que não tinha nem nunca iria ter! Não lhe disse mais nada! ... Foi desolante este Natal queria ter alguém comigo e não podia fiquei um pouco a deprimir e triste!

Ontem estive a falar com um primo meu sobre o meu curso, disse-lhe que precisava de ajuda para o meu projeto se ele conhecia alguém que me pudesse ajudar, e depois falei que não gostava de programação e não tinha jeito para isso (e que ia ser bastante difícil de concluir o curso dado ter de fazer um projeto prático em programação, e eu não percebendo quase nada e aquilo sendo difícil e complicado para mim não ia me safar) falei também da minha paixão eloquente por Teatro e que a adquiri o ano passado quando entrei para o grupo de teatro da escola e aos poucos aquilo foi-se tornando numa paixoneta...aos poucos via-me que aquilo era o meu meio de escape, posso ser quem quero e como quero sem complexos, ninguém há-de me julgar porque é um mundo aberto, livre e onde predomina a integração de todas as pessoas, não existem diferenças, críticas, julgamentos (...) aí entendi que aquele era o meio perfeito para eu estar porque notei que era tratado como uma pessoa normal, com valor, acarinhado por todos, é aquilo que me sinto bem a fazer, que me sinto eu, que me identifico, que tenho algum dom - apenas preciso de relaxar e me soltar mais! E ele foi sincero para comigo e disse-me: "Mas porque carga de água foste tu para informática? Se não gostavas de programação!" Então aí expliquei-lhe que foi por ter a mania e por ir, e ele disse-me que se estou no curso errado que devia de mudar para o que sempre deveria ter ido desde o início: Teatro. E que deveria convencer os meus pais a apoiar (mas só que já estou preparado para o pior, vou ter de me desenrascar sozinho)
E portanto tenho que ver bem as coisas e analisar as coisas... A minha vida está complicada e tem de ganhar rumo rapidamente... é porque sei que não consigo acabar o curso por causa do projeto e também não era isto que queria fui por ir porque tinha a mania da informática... É porque tinha medo de ir para teatro por causa dos meus pais que não iam achar piada nenhuma à coisa. Sei que não consigo acabar o curso por causa que o projeto final é programação e eu não percebo nada e se aparecer com algo feito saberiam que não fui eu a fazê-lo porque não tenho aquele raciocínio lógico e sequencial necessário.. E não sou bom a programação e nas aulas estou sempre com o professor ao pé porque não sei fazer as coisas e não percebo nada! E já lhes tentei fazer ver o que quero mas eles recusam-se a apoiar...

Eu sei que podia mas com esta pressão toda, as coisas em casa e na escola não me parece e já sei que não vou conseguir... Estou a pensar começar em teatro na universidade ou então vou para curso profissional ... ainda vou analisar bem! Se for para a universidade vou 1° para um curso CET com o 12° incompleto de "Gestão e Produção de Pastelaria" de 1 ano e meio e isso dá-me equivalência do 12°/13° ano... E depois se assim desejar e tiver possibilidades é só fazer o exame de Português e entrar para licenciatura de teatro.

Eu sei que já aguentei até hoje mas não quero nada aguentar mais quatro meses, tenho andado super mal e de rastos não é nada fácil lidar com tantas emoções ao mesmo tempo, e o problema é que quando precisava de ir a um psicólogo em pequeno (quando comecei a sofrer de bullying) ninguém se importou e não me levaram lá, e agora é tudo numa bola de neve... Se algumas coisas tivessem resolvidas já estava um pouco melhor!

E quanto ao curso ( o próximo que tenho em mente realizar) tenho as coisas bem planeadas...mas o problema é a questão financeira, mas talvez se resolva... desta vez e a partir de 2014, não vou ceder a chantagens nem a jogos de baixo nível dos meus pais, e uma coisa deixo bem clara, o futuro é meu - escolho o que quero e quem decide sou EU, a vida é minha faço o que bem entender, saiu e ando com quem eu quiser, e não vão ser eles quem me vão impedir, nem limitar-me de fazer o que mais quero... e nem eles nem ninguém tem algo a opinar sobre isso!

Eu sei que não quero este curso...o que estava a pensar era fazer só o estágio do curso e a disciplina de Português, e no resto do tempo ocupava-me com outras atividades, entre elas teatro.
Ficou bem claro da última vez que cheguei-me ao pé dos meus "queridos e adoráveis" pais com a conversa de mudar de curso...o meu pai disse: "Ou acabas este ou não te dou outro" e eu fui caladinho sem abrir a boca... (mas chantagem nunca mais), podem dizer que eu fico em casa os quatro meses que faltam mas ceder à chantagem não, acabou-se, fartei-me de ter de ceder e aturar chantagens! E em Abril mal fizesse os 18 anos ia-me embora... e apenas tenho algum dinheiro na minha conta bancária (só tenho acesso aos 18) ... e planeio arranjar um part-time se conseguir de Abril a Setembro.

E esse curso CET é leccionado na: Escola de Hotelaria e Turismo de Faro, Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste (Caldas da Rainha) e Escola de Hotelaria e Turismo do Porto - e estou a pensar em ir para o Porto, dado que já fui lá de férias em 2012 e conheço aquilo vagamente, bem como tenho alguns amigos por lá!

E ainda tenho de ver se consigo bolsa para fazer esse curso, senão vai ser muito difícil sustentar-me sozinho por lá... é porque o dinheiro que tenho vai-se num ápice... :vou ver se arranjo um sitio barato para poder ficar.. mas depois ainda falta a comida, a roupa, e depois as coisas para a escola (as propinas e tudo o resto necessário) e isso é tudo dinheiro que é gasto assim num abrir e fechar de olhos! Tenho a plena noção que não é fácil sobreviver sozinho (sem o apoio dos meus pais), porque eu ainda não tenho formação... se já a tivesse era só a questão de procurar emprego.

Tal e qual o que o médico me disse, é o que irei fazer:
"1- Tem 17 anos e ainda não 18;
2 - É gay;
3 - Não tem independência financeira que lhe permita viver sem concessões;
4 - Não tem formação académica/profissional que lhe permita ser independente;

Assim sendo...por isso a melhor solução analisada de modo frio e conciso seria tentar aguentar: não ceder mas aguentar com um sorriso nos lábios sim...eu sei que é muito, mas muito difícil, mas eu tentaria pelo menos, senão fosse com o sorriso, pelo menos tentaria aproveitar ao máximo!!"

Portanto o que irei fazer chegando a dia 6 de Janeiro de 2014 é preencher o papel para anular todas as disciplinas exceptuando Português e as referentes ao estágio curricular, ou seja, vou ficar com o 12º ano incompleto. A minha decisão é esta e os meus pais vão ter de a respeitar, não há outra volta a dar!
quarta-feira, 25 de dezembro de 2013 - 0 comentários

Natal 2013


O Natal não é o mesmo que era como em tempos de infância… já não é aquele presente que desembrulhávamos e nos surpreendia de magia. Crescemos, e as coisas vão evoluindo e mudando, passamos a ter mais responsabilidades, os problemas, as perdas, e as dores e os obstáculos que passamos ao longo do ano encobrem no horizonte a verdadeira essência da beleza do Natal.
Só nos podemos agarrar ao que verdadeiramente importam os nossos familiares que nos querem bem, amigos e aqueles que mais amamos e admiramos. Neste Natal vamos valorizar as pequenas coisas, aqueles que nos querem bem. Espalhar amizade, amor, bons sentimentos…esperança, luta, fé. Respeitar todos, cada crença, cada diferença, cada cor, cada pessoa…
A cada um de vocês desejo que cada momento seja repleto de cores, de ilusões, de histórias, de vivência. Cada dor, ou cada lágrima derramada que seja transformada em esperança de um dia melhor. Acredita momentos melhores chegaram um novo ano está à porta e pode-se sempre (re)começar de forma diferente, fechar um livro e abrir outro completamente em branco.
Para mim a vida é uma breve passagem, da qual não passa de uma folha branca, que nunca chega a ser pintada pois tudo não passa de uma realidade que não existe, que todos sonhamos, que todos inventamos, imaginamos, fantasiamos, e que por telepatia a todo nos une.Sendo assim, de nada serve usar o mal, a inveja, a raiva, o ódio ou a mentira para atingir os nossos fins porque mais cedo ou mais tarde, tudo volta a ser branco para cada um de nós e recomeçamos…com uma página completamente em branco acrescentada ao livro da vida!

A todos aqueles que me tem acompanhado nesta caminhada de vida, que me admiram, que me valorizam, que gostam de mim, e aos meus seguidores desejo um excelente Natal e tudo de bons para vós e vossas famílias, que este seja um dia muito especial, que se relembrem os momentos dos Natais passados com felicidade e alegria, que as surpresas dentro dos vossos presentes, sejam sinais de amor, de sucesso, de amizade, de conquistas, de saúde… e sobretudo de FELICIDADE!
Um bem haja a todos!
segunda-feira, 23 de dezembro de 2013 - 0 comentários

Aquela esperança...avivou-se!




Ainda tenho aquela esperança de que algo possa ser feito por mim...na passada quinta feira estive a falar com uns contatos...falei com uma pessoa um médico que já exerce profissão há mais de 20 anos, e presidente da associação CASA ...e fiquei a saber que afinal já lhe passaram pelas mãos tantos casos como o meu... De fato, é impressionante e surpreendente como existem tantos e tantos jovens numa situação igual ou pior que a minha em que, segundo ele: "ainda hoje os pais tem uma enorme dificuldade, sem terem que ter...em aceitar tal realidade, que se atrevem a chamar doença, maluqueira, opção, escolha e outras asneiras iguais ou piores..." - é tão triste isto!

Eu: "Estou mesmo desesperado e já passou um ano desde que eles descobriram... Já contatei todas as associações e mais algumas que conhecia e fui conhecendo, mas infelizmente a resposta era: "Desculpa mas infelizmente não podemos fazer nada por ti, dado seres menor de idade tens de aguentar...", eu penso e vou pensando, tem de haver algo que se possa fazer... eu não posso viver num ambiente assim... é mau, muito mau e eu não quero voltar a ter de tomar antidepressivos, medicamentos para dormir, calmantes.... O meu estado emocional está muito debilitado e vou decerto levar um tempo a recuperar-me, eu nem sei como, mas ainda tenho aquela esperança que alguém me poderá ajudar, que se iluminara uma luz ao fundo do túnel...."

Médico: "Em Portugal para conseguir fazer alguma coisa efectiva e com qualidade demora séculos e principalmente para as pessoas que não tem séculos, para as pessoas que estão exaustas como você, apenas por gostarem de pessoas que, por acaso, são do mesmo sexo. Acho que não chega, acho que tinha que ser para ontem, e não para amanhã mas estamos em Portugal - país de fado, futebol e Fátima, pais em que os portugueses são analfabetos sexuais e emocionais. Gostaria muito de ter a possibilidade de me meter num avião e ir já para a Madeira para falar consigo, para lhe dar um grande abraço e para acima de tudo poder falar a sós com os seus pais e lhes mandar uns berros valentes do alto dos meus 52 anos e pelo factor de ser médico e sexólogo e andar nisto há mais de 20 anos e penso que a mim me ouviriam, ate porque eu sei se meigo quando é preciso mas sei impor-me quando é obrigatório, mas eu não tenho esse jacto, o que posso fazer por si em concreto? Não, não o vou despachar nem para a amplos nem para a ilga - não há resultados concretos!"

Alguns projetos que visam apoiar a juventude LGBT:
  • Projeto Tudo Vai Melhorar (It get's better project - projeto mundial de luta contra o bullying homofóbico); 
  • Programa de televisão: Sexualidades, Afectos e Máscaras ( Emissão: quartas-feiras às 21h30 com repetição ao Sábado às 21h e Domingos às 22h.Canal 158 Zon, 17 Cabovisão e MEO KANAL 620232). 

Eu: "É porque eles tem a mania que sempre estão certos, não adianta o que você possa dizer, é o que tenho visto com os outros médicos e psicólogos a quem fui ate hoje! Eu próprio já contatei a AMPLOS a doutora Margarida Lima de Faria disse que podia falar com a minha mãe via Telefone, mas ela recusa-se... Eu ainda perguntei se ela podia deslocar-se de avião cá para vir pessoalmente falar com os meus pais e ter uma conversa séria...mas é praticamente impossível dados os custos de deslocação! Mas não há nada que se possa fazer? Contatar alguma instituição sei lá? A fim de eu conseguir começar o novo ano noutro sitio, e organizar a minha vida isto porque está tudo mal!"

Médico: "Desculpe dizer-lhe mas a maior parte das instituições em Portugal não funciona!!"
A maioria das associações/instituições (LGBT) existentes em Portugal não funcionam e de fato já pude comprovar isso por quase todas as que contatei... O médico também me indicou um rapaz daqui da ilha que já passou pela mesma situação do que eu e que agora encontrou estabilidade, a fim de falar comigo e eu ter alguém próximo com quem pudesse desabafar, indicou-me também um psicólogo que faz parte da mesma associação e pela primeira vez vejo que algumas algumas pessoas estão dispostas a me ajudar e se importam comigo e com o meu bem estar!

Eu: "O meu padrinho do Crisma vem cá este Natal, se sequer ele me pudesse fazer algo por mim... conversar com os meus pais não adianta... Mas sim agir... levar-me com ele e deixar-me com alguém em Lisboa ou coisa assim... o problema são os meus pais, a maneira de ser deles, iriam olha isso logo como rapto... e é por isso que ninguém da minha família quer se meter porque depois dá porcaria e gera-se uma guerra aberta! Eu sinceramente só acredito no "it get's better" no dia em que eu sair daqui e recomeçar e organizar a minha vida!

Médico:"Há gente que se preocupa consigo o que significa que não está sozinho. Chega?
Claro que não... Mas...lembre-se que não está sozinho!!!"

Eu: "Sim exacto e ainda bem... o problema que tenho, é que praticamente ninguém acredita no tormento que tenho passado porque os meus pais transmitem uma imagem muito boa pela frente! E custa às pessoas acreditar no que eu digo, porque os meus pais arranjam sempre maneira de dar a volta e de colocar a culpa sempre em mim Já estive para ai em 6 psicólogos diferentes... E só uma é que acertou, e foi a única pessoa que até hoje disse à minha mãe sem papas na língua: "Você não aceita o seu filho, se continuar assim vai acabar por perdê-lo", nessa consulta de psicologia eu fiquei fora de mim...e disse a psicóloga que já não aguentava mais viver nesta casa e com estas coisas! Depois a minha mãe tendo a mentalidade que tem ficou contra, disse que ela não era psicóloga nenhuma, disse que tem tinha arranjado a psicóloga não era boa pessoa (a minha prima) .... e disse que essa psicóloga queria me roubar à minha mãe! E depois ela não quis que eu fosse mais a ela ... ainda cheguei a ir mais uma vez, e contei-lhe porque pus-me a pensar "Bem irei ser sincero com a minha mãe a ver se isto melhora, mas não piorou" , a minha mãe insinuou que a psicóloga era "Lésbica e que não era profissional de saúde nenhuma e que iria apresentar queixa" Os outros 5 não me compreendiam, não percebiam o meu sofrimento e as coisas que contava! Sei lá que raio de psicólogos eram estes... aqui as pessoas são retardadas, uns diziam que a culpa era minha que os meus pais tinham de cortar tudo, pc, telemóvel, etc Nunca me dava razão a mim e procuravam sempre respostas tontas e tortas para o meu sofrimento, uns ainda disseram-me "Tu queres obrigar os teus pais a aceitar-te à força, isso não pode ser assim" Falar da boca para fora também eu falo, eles sabiam lá, nem fazem ideia do inferno que eu passo dentro desta casa dia após dia..."

Médico: "É eu pena que a Madeira não seja daqui a 300Km...eu oferecia-me para levar toda a equipa de sexologia da CASA para irmos de graça fazer um conjunto de conferencias de graça, para ensinar essa gente!!!!!"

Eu: "Pode crer mesmo que sim... bem precisavam! É que a minha mãe pela frente faz um papel muito bem feito, e depois fico sempre mal e praticamente ninguém acredita em mim... acredite eu garanto-lhe se eu já tivesse conseguido ir-me embora já tinha ido! O problema é que preciso de ajuda e orientação de alguém... Isto tudo tem abalado comigo muito mesmo, o meu estado psicológico está muito debilitado e afetado! Tive consultas de pedopsiquiatria... mas foram uma desgraça das maiores, eu saia de lá pior do que entrava.. "Mais uma vez, os meus pais desmentiram tudo....e puseram-me como um mau da fita Eu disse em plena consulta que eles estavam a me matar aos poucos, e a médica disse que eu estava a exagerar! E que não era para ser assim... Eu disse a médica que ela não sabia o que se passava dentro da minha casa... Ela diz que eu tenho que ceder....e sair com os meus pais, e ceder as coisas e ajudar e fazer coisas em casa! A médica diz que eu também só lhes vou dar valor quando lhes perder.... A minha mãe foi lhe dizer cenas do tipo: "que eu queria estudar longe daqui", "que os olhava com ódio", "que mal parava a mesa", "que passava o tempo todo no pc", também que eu tinha dito que era melhor me porem fora de casa do que viver assim" e etc. A minha mãe diz que a felicidade não importa agora e que eu tenho de tudo para ser feliz... Mas na realidade não tenho falta o essencial e o que dinheiro não paga, amor, carinho, afeto, ternura..." Pudera, lógico se eles me fazem sofrer quero me afastar deles o máximo que puder! E a medica não percebia o meu sofrimento nem lhe valia explicar as minhas razoes que ela não vai entender! Os meus pais conseguiam sempre dar a volta... e por a culpa toda em cima, eu contava-lhe as coisas ela confrontava-os e eu ficava mal e de rastos!

A minha mãe diz que eu não tenho idade para me assumir, tudo por causa que pessoas da minha família metem-se na minha vida... Que raiva e vem as coisas que escrevo no face e metem a colher (mas tratei disso e proibi as pessoas de ver o meu perfil)... Querem me lixar a minha vida e dizem que a felicidade da tempo... que só la prós 30 anos! Dizem que eu agora tenho que estudar ir pro universidade, e só depois andar com alguém... eles não percebem...o quanto custa estar sozinho, carente e sem alguém, já estou farto de sofrer por causa deles e familiares andam sempre a falar em mulheres e se ando com raparigas ou não, isso tira-me tão do sério, se já sabem que eu o sou deviam calar o bico e não me martirizar nem fazer me sentir mal e sofrer, e pelo que parece-me são tecla 3 querem me mudar à força, tão sempre a dizer hoje pensamos duma maneira daqui a dois dias já pensamos doutra, tu ainda vais ver o que vais gostar! Tu não sabes nada! Tu és um inútil, não fazes nada, és vadio, és arrogante, frio, estúpido, ...
Eu sinto que preciso mesmo mesmo de sair daqui senão explodo ... custa-me dia após dia acordar e ver tudo na mesma, ultimamente é discussões todos os dias desde à muito tempo, já cheguei ao ponto de saturação... E houve uma vez em que ia cometendo um pequeno disparate "Tomei 3 calmantes de 0,25 mg e só devia ter tomado 1, já estava tão exaltado que foi tipo como se não pensasse" e tantas vezes que pensei em pegar nos malditos dos comprimidos e tomar uma dose excessiva, ir para ao hospital a ver se com essa desgraça, os meus pais acordavam para a vida (sei que não era uma coisa boa, e que podia ter consequências fatais) ... é porque o que eu vejo é que a bomba tem de rebentar.... tem de acontecer uma desgraça enorme, para talvez as coisas mudarem... (Mas eu já nem penso praticamente nisso.) Eu sei que ainda tenho muito para dar ao mundo, e que hei de ser um orgulho ainda para muitos!

A psiquiatra ainda dizia tu tens uns bons pais e nem sei que e nem sei que mais... Já me deu dois ataques de ansiedade e não foram nada bons, foi muito difícil de controlar-me, começo a hiperventilar e quase sem oxigénio a chegar ao cérebro... E agora não me posso exaltar nem me inervar demais... que já se tudo descontrola e fico aflito! Os meus pais também me queriam por no internamento psiquiátrico cá da ilha...porque eu andava ate as tantas da madrugada na internet, os meus pais ponham-se à escuta das minhas conversas, não me dão privacidade ainda hoje... Querem controlar tudo tudo e tudo!

E a minha mãe já me levou também a uma astróloga, que tortura que foi ela não me pode fazer isso ainda me faz sentir pior:
"A mulher fez-me a carta astral e disse que eu era um "dom ruan" super atraído pelo sexo oposto, e disse que eu não era homossexual e mostrou-me um livro em que estava escrito isso... e disse que isso tinham sido influencias e coisas da minha cabeça, que por tanto odiar os rapazes quando sofri de bullying passei a gostar deles....disse que eu era um fantoche, e que não podia gostar de alguém do outro lado do ecrã... E que tinha que ser homem, e que não precisava de assumir nada, e bla bla! E que os gay's eram todos muito homens e que tinha de ter cuidado porque nunca se sabe quem esta do outro lado do ecrã...e cuidado com o trafico de órgãos e nem sei mais que cenas, e que estavam a me influenciar para eu sair daqui. E que eu tinha que sair de casa e socializar com amigos... e que tinha que conhecer pessoas e não ficar todo o dia no pc... E disse que não era preciso me mostrar, que não podia pintar o cabelo ou me vestir como quisesse porque senão era pior que José Castelo Branco" E quem mandou a minha mãe ir lá foi a minha avó, e acho que ela ainda pagou (consultas e tratamentos) Já vi mensagens no telemóvel da minha mãe a dizer a senhora que eu estava completamente alterado que era para fazer qualquer coisa! Que mulher mais tonta!!!E depois a minha mãe a as vezes diz que não tem dinheiro para comprar-me roupa mas para essas coisas tem, é tão engraçado!"

A minha mãe também já me disse: "Pensei que eras meu amigo e gostavas de mim, não sei que tempestade vai na tua cabeça, eu ao pé de ti ate me sinto um cachorro, por tu não gostares de mulheres! (Isso não se diz a um filho nunca!) Tu tens de pensar na tua vida e apenas um dia mais tarde podes vir a estar com um rapaz!" Está literalmente a me impedir de viver a vida, não posso fazer nada, não me deixam sair, não tenho liberdade..."

Médico: "Eu faço consultas há mais de 20 anos...infelizmente esse discurso nojento é tão mas tão habitual...infelizmente..."

Um bem haja a este médico, finalmente após tanto tempo recebo uma resposta decente e válida, luz ao fundo do túnel há vista!

Estive então a conversar com o psicólogo e das primeiras coisas que ele me disse foi o seguinte: "Sabe que sendo menor de idade... É possível agir legalmente de forma a retira-lo da família onde se encontra atualmente! Não querendo adiantar nada, a primeira coisa que lhe tenho a dizer é mesmo esta... sendo menor de idade continua a ter direitos que lhe assistem. Tem direito a uma vida digna e saudável e feliz, num lar acolhedor..." e falamos sobre alguns aspetos a serem trabalhados!

Finalmente um dia produtivo!
sábado, 21 de dezembro de 2013 - 0 comentários

Mais uma vez....sem sucesso!



Quarta-feira depois de me encontrar num estado desesperante voltei a contatar a linha de apoio LGBT e estive a contar as coisas que se passaram comigo e tentei levar as coisas a exaustão a ver se realmente a pessoa percebia a gravidade de situação e a delicadeza que se tratava... e se me podia ajudar e fazer algo por mim...mas sem sucesso!

Abaixo fica a conversa (clique em Ler Mais...)

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013 - 0 comentários

Desilusão...


Hoje a minha mãe foi buscar as minhas avaliações do primeiro período, chegou a casa e começou a me enxovalhar que não gostou nada do que ouviu sobre mim na escola!
Primeiro perguntou-me porque era eu tão teimoso e má pessoa?
Depois veio com que historia era uma de eu querer mudar de curso? Se eu queria ir para Matemática A?
Disse-me que eu olhava de lado e olhava para o diretor de turma nos últimos tempos!
E disse-me que o meu diretor de turma tinha pena de uma pessoa como eu com excelentes notas ser assim, malcriado e arrogante para as pessoas…
A minha mãe disse que eu tinha de mudar e que eu tive negativa a educação física porque era teimoso e malcriado com a professora, e perguntou-me se me custava muito pegar num apito e apitar… (Oh pá eu odeio desporto e não gosto de fazer nada relacionado com isso, o ano passado eu não fazia as aulas por ter atestado médico, o professor compreendia-me e eu simplesmente ficava a ver os meus colegas na aula, e cheguei a fazer um trabalho escrito, a minha nota foram os testes e a minha presença nas aulas, porque é que agora tenho de ter uma professora que me obriga a fazer coisas que não gosto nem me sinto bem a fazer! Porquê?)
Não esperava mesmo ter aquela negativa a EF...só me apetece desistir deste curso, não é isto que quero estou farto de sofrer e sofrer naquela escola, ..

É engraçado é que todos só sabem criticar e apontar o dedo...mas ninguém sabe analisar a que se devem tais atitudes minhas, nem fazem ideia do que já sofri e sofro durante este ano...

Querendo ou não, chega uma hora em que as pessoas têm que mudar, que as pessoas têm que crescer. E isso não é uma escolha, é uma aprendizagem. Tu mudas a cada coisa nova que aprendes, a cada erro que cometes, a cada vez que te decepcionam. É por isso que vais passar por constantes mudanças durante toda a sua vida. Porque erros cometes todos os dias, aprendes coisas novas todos os dias, decepcionam-te a toda hora. Então aceita e compreende as mudanças que acontecem contigo e com quem vive ao teu redor. Ninguém muda porque quer, e se alguém mudou é porque foi preciso.
quarta-feira, 18 de dezembro de 2013 - 0 comentários

E acabou por este ano...


Hoje recuperei de um susto... Já recebi aquele teste de programação de páginas web e tive 4,4. Depois fiz a minha média e deu-me um 9... e estava seriamente a pensar já em anular o curso e só fazia o estágio e a disciplina de Português (dado ser aquilo que eu gosto - escrever) ... e depois em Abril quando já tivesse os 18 anos ia-me embora para Lisboa.. tentava procurar um part-time. Em Setembro, começava num curso CET de Gestão e Produção de Pastelaria...mas...a professora deu-me um 10 como nota do período, ela disse que eu mereço o 10 (...) assim já não anulo o curso e até fiquei com um ar de desconfiado e a professora perguntou-me porquê eu estava assim e eu disse-lhe que pensava que ia ter nega, mas ela foi super fixe e disse-me que viu o meu trabalho e empenho, só tive o azar de o teste me correr mal!

Hoje também voltei a colorir o cabelo, e a minha mãe ficou super fula e começou a dizer mal e a mandar vir comigo que nunca mais me dava dinheiro para nada... também estive a falar com a minha madrinha e as coisas vão ser bastante complicadas...porque é uma vergonha os meus pais dizerem mal de tudo e todos, um dia irão acordar para a realidade mas aí será bastante tarde demais...

Não tenho amigos, os que tinha deixaram de me falar...nunca mais disseram nada como se eu não existisse... E sinto-me sozinho, triste, carente, abandonado... Estava a sair com um rapaz, mas ele disse-me que perde os sentimentos pelas pessoas, e que já não sentia nada por mim, e que era para ficarmos amigos, e nunca mais me falou...

E finalmente acabaram as aulas...e já não tenho de aturar os meus colegas até ao final do mês, que bom!
terça-feira, 17 de dezembro de 2013 - 0 comentários

Que dias, que massacre, que inferno...


Que dias tenho eu tido... na quinta-feira passada fiz um teste de programação de páginas web e correu super mal, não consegui testar nada... Ou seja se nada funcionar tenho zero, a professora não liga ao que escrevi no código, mas sim se funciona ou não...
A probabilidade de eu ter zero é praticamente 100%, porque basta a primeira coisa do exercício não dar que as outras coisas já nenhuma funciona, porque dependem da primeira!
Esta disciplina é essencial para a conclusão do curso, e se nao a passar não há volta a dar... Já há algum tempo que ando com um felling que não vou acabar este curso (e é o mais certo a acontecer, isto porque não é aquilo que sempre quis, e só me consegui aperceber disso no final do 11º ano)
Hoje os meus colegas foram para uma atividade de EF de paintball e golf, mas eu não fui, fiquei por casa a terminar o trabalho escrito da disciplina para entregar no dia seguinte, além de que não tinha pachorra para os aturar...E todos os momentos que eu puder evitar de estar com eles evito.

A minha mãe na segunda feira disse-me para ir à casa da minha avó e perguntou-me: "Porque não acabas-te os relatórios ontem? O que andas-te a fazer foi a por macacos no facebook, não tens vergonha nenhuma na cara... É isso a que chamas estudar, que bonito estudo que é esse! Em vez de estudares andas é a fazer coisas que não deves, eu vou mostrar ao teu pai o que puseste quando ele chegar a casa...
E o meu pai assim: "Já é tempo de parares com essas coisas, não tens vergonha! Já te disse para estudares, não é para andares a ver meninos!"
Mas a minha mãe esquece-se que eu sou esperto, logo coloquei-a na lista restrito do meu facebook, já não poderá ver nada do meu perfil! (Problema resolvido)

Na 3ª feira, de manha encontrei uma amiga minha (melhor amiga do rapaz com quem sai na noite da capas), e perguntou-me se estava tudo bem entre nós… eu disse-lhe que não (ele mal tem falado comigo, disse que ficávamos amigos, mas não tem me ligado nenhuma nem perguntado se tem estado tudo bem, combinado uma saída comigo, etc). Senti-me tão triste, já estava a começar a sentir algo por ele…e depois aconteceu o que aconteceu, só me apetecia fugir sem rumo…espairecer e esquecer o que houve!

Depois na aula de EF a professor ficou chateada comigo por causa da minha participação nas aulas...disse que me deu um 9 (na participação nas aulas) mas que foi muito benevolente, que eu tinha de trabalhar nas aulas, ajudá-la e isso tudo, e não passar a aula a dormir e no tablet... Eu não gosto nada de desporto e ela disse-me assim: "Ou fazes as aulas ou então vai ter de participar a sério nelas, agora escolhes! Porque senão esta nota vai descer para um 6 ou menos! E mais uma ela disse-me cá não percebo porque é que tu no 10º ano fazias desporto e agora não fazes!" Eu disse-lhe que não fazia desporto porque não gostava e não me sentia bem, e ela ainda para mim "Isso é tudo macaquinhos da tua cabeça, tu és uma pessoa normal, podes fazer as coisas, e alem disso o teu atestado não esta interdita a pratica de exercício físico, isso só acontece quando se parte uma perna ou se tem uma doença grave..." Eu disse-lhe: "Odeio desporto, não me sinto bem e ponto! Não posso fazer nada contra isso!"  E ela: "Ou mudas a tua atitude nas aulas ou então vou te dar nega e chumbas o ano!" E depois eu disse-lhe "Olhe isto não me faz falta nenhuma eu só faço isto porque tem de ser e sou literalmente obrigado!" E ela: "Então se não gostas e não queres sempre podes anular a disciplina!" E eu: "Mas se eu fizer isso fico sem o curso!" 
Eu nunca fui com a cara dela, desde o primeiro dia... o ano passado o professor era fixe e deixava-me ficar sentado a ver os colegas... e não embirrava comigo e impunha-me coisas!
Não consigo mesmo fazer desporto...porque relembro-me de tudo o que eu passei em pequenino, e entro em modo depressivo, e depois as pessoas não me sabem integrar, metem-me sempre de parte jogado a um canto sempre foi assim...  e depois começam a gritar comigo dizendo que eu não sei jogar e que não jogo direito, e isso afeta-me de uma tal maneira horrenda que me mete de rastos! E não é só isso mas também o facto de não me sentir bem nos balneários com os rapazes...eles são uns brutamontes e são capazes de me fazer alguma  .... Por isso o que eu puder evitar evito para não me magoar ainda mais!

Tudo na vida tem as suas devidas razões... e existem assuntos que por mais que eu explique a determinadas pessoas, essas jamais me irão entender e perceber... apenas o que farão será me criticar e julgar como tem feito ao longo deste tempo todo!
domingo, 15 de dezembro de 2013 - 0 comentários

O meu primeiro amor...


Este verão que passou comecei a gostar do primeiro rapaz a sério, algo tão forte que eu nunca tinha sentido por ninguém... (Conheci-o no fórum da rea simplesmente por mero acaso, naquele dia meti conversa com vários rapazes e ele foi um deles...à medida que fomos falando fomos descobrindo que tínhamos imensa coisa em comum mesmo (nunca tinha conhecido um rapaz assim, pensei bem "um rapaz de Lisboa, vamos lá ver pode ser que daqui surja uma grande amizade!"
Nessa tarde ele conheceu três pessoas, porém fui eu quem lhe chamou à atenção, ele ficou particularmente sensibilizado e chocado ao saber que partilhávamos uma história de vida muito semelhante e que tínhamos muitos gostos em comum. Por essa razão, ele quis saber mais e tentar ajudar-me no que pudesse visto já ter mais experiência. Durante a nossa conversa ele acabou por esquecer que eu era da Madeira e que tinha apenas 17 anos, e começo-me a ver como uma alma gémea, ficou encantando comigo logo no primeiro dia. (O mesmo aconteceu comigo em relação a ele)

E assim foi, trocamos de facebook e fomos falando imenso naquela tarde que se tornará magnifica, e tanto eu como ele queríamos saber mais da vida um do outro... Continuámos sempre a falar, descobri mais um apaixonado (ele) também por Teatro, escrever, gostar de fazer as mesmas coisas, ver as mesmas séries, desejo de querer fazer coisas que não haviam sido feitas até a data, (...) tal e qual como eu (tão bom)! Os dias foram avançando...
Ambos não conseguimos entender nem explicar quer a nós quer a ninguém como chegamos a este ponto, gostando assim um do outro. Num momento estávamos a falar em coisas tristes, noutro a falar de coisas boas, mas principalmente na falta de amor na nossa vida e o como estaríamos bem um para o outro por termos passado por tantas dificuldades e por desejar-mos encontrar alguém que fosse o "reflexo" da pessoa atrás do outro ecrã.
Também nenhum de nós se lembra de quem deu o "primeiro passo" na relação mas no fundo sabíamos que gostávamos um do outro (e que as certezas eram evidentes) e daí as coisas terem evoluído tão rápido e no entanto tão suave.
Os dias foram passando, e a vontade de falarmos um com o outro a cada dia que passava foi cada vez maior. Antes da nossa primeira vez na webcam ele estava receoso, não por ver como tu eras realmente, mas por olhar para ele e ficar desapontado. Simplesmente quando isso aconteceu: Ficámos gagos e sem palavras quando nos vimos os dois pela primeira vez, ele sentiu-se um "tonto" por estar a fazer isto, visto nunca ter feito algo do género. Só lhe passava pela cabeça que, provavelmente por algum motivo, não eu não iria falar mais com ele no dia seguinte.
Porém, continuei a falar com ele e os dias foram passando, aquele "crush", aquela paixoneta que tinha por ele e ele por mim foi crescendo e depressa ele percebeu que realmente me amava . Começou a desejar beijar-me e a querer mais de mim, querer talvez fazer a vida dele comigo. E depois lembrou-se, "ele tem apenas 17 anos, eu tenho 21", começou a ficar preocupado e a pensar se seria considerado pedofilia. Tentou abstrair-se disso e lembrou-se, "ele só vira para Lisboa quando fizer 18", ficou mais tranquilo, ele esperaria esse tempo todo, esperaria o tempo que eu estivesse disposto a esperar, para que um dia pudéssemos estar juntos e sem nada nem ninguém que nos pudesse separar, sejam os meus pais, seja quem fosse.

O tempo foi progredindo e minha guerra com os meus pais também, como um bom namorado e por gostar muito de ti falámos em imensas hipóteses, imensas alternativas para eu conseguir a tal liberdade que tanto desejava e mereço, para conseguir realizar os meus sonhos e para eventualmente estarmos os dois juntos.
Depois ele disse-me: "Neste momento eu tenho a minha vida, a minha cabeça num caos. O que eu que dizer com isto é, sabes que não consigo fazer mais nada por ti além de dar-te o meu apoio, falar contigo e acima de tudo o meu amor. Espero não ter incumbido ideias parvas na tua cabeça e não estar a prejudicar mais a tua vida.
Agora, e querendo ser o mais direto possível contigo: EU AMO-TE com todas as minhas forças, já chorei por ti, já chorei por nós, já fervi a minha cabeça a tentar ajudar-te e sinto-me um inútil por não conseguir fazer mais por ti. Tenho medo, tenho especialmente medo de não te estar a dar o que mereces e o que precisas e tento conter as minhas lágrimas. Portanto tenta ser o mais direto possível quando pergunto: "Queres continuar com a nossa relação? Devemos esperar? Dar um tempo?"
E vou-te amar sempre, eu...eu já sofri mais do que devia durante a vida toda, antes de te conhecer já tinha "atirado" o meu coração para o lixo, mas nunca pensei encontrar ninguém como tu. Eu já me tinha considerado um desperdício de vida, alguém que não merecia ser feliz e fiz um compromisso a mim mesmo "nunca amarei ninguém".
AMO-TE!!! "

Eu falei com ele e esclareci as coisas... e disse que de facto queria continuar com isto e que o amava de verdade. Ainda não tinha estado com ele pessoalmente (a vontade era cada vez mais), mas iria estar para breve ( ele iria vir cá à Madeira nas minhas capas para nos conhecermos e estar comigo) mas depois cheguei à conclusão (que estúpida conclusão) que ele não me podia dar aquilo que eu precisava, amor, carinho, mimos, e à distancia as coisas não funcionavam, então ficamos um para seu lado... O que ele me disse foi se eu chegar mesmo a ir para Lisboa e ambos não tivermos encontrado alguém, podemos pensar em reatar o namoro.
Eu nunca, mas nunca tinha conhecido alguém assim... Foi muito bom e tenho bem consciência que existem bem poucos rapazes agora como ele, porque muitos deles só procuram uma noite de sexo e depois descartam as pessoas como se fossem lixo, e isso é mau, já são poucos aqueles que procuram uma relação séria agora e são poucas as pessoas que estão "disponíveis" para uma relação séria, pois os bons rapazes ou já estão comprometidos ou são como eu ele que estamos à distância mas que nos amamos!


(O tempo foi passando...) e ainda hoje eu sinto isso....
Há poucos dias, estava aqui a atualizar o blogue e no fórum da rea e depois fui ver um post em que falava de quando o conheci, depois fui ver o texto que ele me mandou e desatei a chorar e fui falar com ele...e disse-lhe:
"Sinto falta tua da atenção, das nossas conversas, das nossas trapalhices, dos nossos bons e maus momentos, de quando passávamos horas a falar um com o outro, eu sinto demasiado a tua falta, a tua forma de seres para mim, (...) tu foste o primeiro rapaz de quem gostei mesmo, tu marcas-te sem dúvida, (não sei se já gostei de outros, agora que me coloco a pensar nisso, não sei até que ponto já gostei de alguém de verdade que não tu) - eu acho que talvez tenho um pequenino problema, ou talvez não... conheci-te gostei muito mesmo de ti (como nunca tinha gostado de alguém) tudo bem, depois vou conhecendo mais gente, ... e depois mais, e acabo por ficar interessado por vários (Será isto normal? Será que sofro de poligamia? Ou talvez o mais certo é que eu te tenha amado só a ti!) Quero-te bebé, sinto imenso a tua falta! Gosto imenso de ti! E realmente acho que as coisas só faziam sentido contigo... Nunca senti nada assim por ninguém... apenas quero-te, quero ficar contigo, quero estar ao teu lado poder amar-te e dar-te o que precisas e vice versa. Estou fartinho disto, de sofrer, de não ter amigos (não tenho ninguém aqui, todos me deixam de falar), estou farto de sentir esta angústia dentro do meu corpo, só quero estar bem, me sentir feliz e realizado, só quero estar ao teu lado, só me apetece ir a correr para aí, preciso de fugir daqui!
Eu sei que não sabes o que dizer, não estavas nada à espera disto...a mim também me custou muito quando nos separámos, eu também amei-te muito mesmo, como nunca amei ninguém até hoje.... mas essa parte da ficar interessado noutros julgo ser mais atracão física do que outra coisa, nada comparado com o que eu senti e sinto por ti... Eu já há algum tempo estava com um felling que um dia ia dizer-te isto... eu compreendo e sei que não é fácil voltares atrás, pois sei que fizeste uma promessa, mas... desculpa-me eu já devia ter-te dito isto há mais tempo só que sempre fui adiando, foi uma burrice da minha parte acabar tudo contigo, porque eu sempre gostei de ti, te admirei e te vi como a minha alma gémea, (ao menos tinha atenção, o teu carinho mesmo longe) agora sabes o que tenho NADA, isto custa tanto mesmo! Custa tanto sentir-me como se perdesse tudo, como se fosse um vazio, como se estivesse só no mundo a lutar contra uma batalha impossível....
Podias não estar aqui comigo e não podermos não ter tido contato físico devido a isso, mas ao menos sentia-me amado, feliz, tu punhas-me animado depois daquelas horríveis discussões com os meus pais, ... e agora, agora sinto-me como lixo, como se fosse nada! E acho que o mais importante neste momento é sentir-me amado e relativamente bem...o resto virá depois!
Juro-te não sei que fazer a esta mágoa que sinto, não sei que fazer da minha vida, está tudo mal, preciso de um recomeço, de ti ao meu lado, recomeçar de novo, do zero, passo a passo...
Sim, mais dia menos dia sei que refaço a minha vida (quando fizer 18 anos) fora daqui mas para chegar a esse dia, ainda demora e muito, não sei se consigo esperar! E os meus pais estão sempre a me espicaçar a dizer que as coisas vão correr mal, que vou dar razão a eles no final de contas e blá, blá, blá."
Depois ele disse-me: "Sabes que aconteça o que acontecer eu estou sempre ao teu lado e ajudo no que for possível, e quando vieres para Lisboa, eu vou estar sempre presente, dentro das possibilidades, ajudar-te a encontrar o teu lugar e alguém que te ame e respeite. Acredita quem existem ainda algumas pessoas que valem a pena" E eu respondi-lhe: "Tipo TU"
E depois perguntei-lhe se o amo-te que ele tinha me dito inicialmente ainda era válido, ao qual ele respondeu: "Eu amo-te sim, mas o meu amor por ti agora é outro, amor de amizade", e eu perguntei se isso não podia mudar, e ele: "Não tão cedo babe, eu gosto duma pessoa!"

Fiquei um bocado triste...porque quero-o de volta! Ele sim tenho a certeza de que o amei de verdade...quando aos outros as certezas já não assim tão válidas! Mas ao menos sei que ele é meu amigo e gosta de mim e está aqui para me ajudar... Quem sabe o destino não me reserve alguma surpresa e todos os planos traçados por nós, não se venham a concretizar!
Esperemos que a vida nos reserve dias lindos e recheados de coisas boas e poucas amarguras!

E assim foi o meu primeiro amor... 
sábado, 14 de dezembro de 2013 - 0 comentários

Ainda hoje... (Resumo da minha vida)


As coisas foram se compondo...porém, há sempre um MAS... ( como em todas as histórias)

- Sinto uma enorme saudade dos tempos de infância que belos que eram esses, ao menos todos me adoravam e gostavam de mim, agora já não é a mesma coisa, tenho praticamente uma família inteira que não gosta de mim por eu ser aquilo que eu sou, e também preocupações demais que vão dando cabo da vida aos poucos e poucos, mas no meio disso tudo e felizmente, ainda tenho quem me ame e goste de mim!

- Voltando um pouco atrás no tempo... há cerca um ano atrás (em Dezembro) eu próprio dizia que ia enfrentar e mudar as mentalidades das pessoas, mas com o passar do tempo muito rapidamente me apercebi que estava errado e bem errado.

- Pensei várias e várias vezes que a minha vida ia ganhar rumo e que as coisas iam melhorar mas isso não aconteceu...

- Achei que este ou aquele iriam ser o "rapaz perfeito" para a minha vida, mas não até hoje não tive nenhum relacionamento, apenas umas experiências com rapazes.

- Comecei a sair à noite contra a vontade dos meus pais este ano, e o resultado disso é: Sinto-me muito sozinho, abandonado com falta de amor e carinho, tenho um grande vazio interior, dificilmente podendo ser eliminado... Sonho que um dia possa encontrar alguém, tenho 17 anos, e ainda não tive nenhum relacionamento, apenas umas curtes com rapazes, em saídas à noite a uma discoteca LGBT, mas isso não muda o meu estado de espírito, pois quando regresso a casa após uma noite, vejo que já acabou a noite, a discoteca fechou e estou só e que não tenho ninguém comigo ao meu lado, e só me dá é vontade de chorar e ficar agarrado à almofada, quando o maior desejo era estar com o "ele" que ainda está por encontrar!

- Perdi a virgindade com 16 anos, e até me arrependo um bocado...pois já há 9 meses que não tenho contato físico com um rapaz, isto aqui é difícil de viver sendo homossexual!

- Tive um aniversário de porcaria como sempre, durante estes 17 anos de vida...oxalá que os meus 18 anos sejam super especiais!

- Só agora é que depois de saberem a minha verdadeira identidade é que as raparigas me elogiam e dizem que sou lindo!



- Elogios por ser aquilo que sou, sem medos, nem credos...




- Tudo errado! Ainda hoje me sinto mal, triste, melancólico, angustiado revoltado, sem amigos, os suposto que eu tinha deixarem de falar contigo sem motivo aparente? Sinto-me um desprezado, sinto que as pessoas só falam comigo por mero interesse... , etc.  O problema é mesmo não deixar que tudo me afete, quando eu já cresci com tudo me afetando, sempre fui muito sensível e fraco :(




- O meu sonho é viver noutro sítio, agora encontro-me a viver na ilha da Madeira, estou saturado, farto de estar cá, das pessoas, do ambiente, preciso de uma mudança, de novos ares, outro local, novas pessoas, esquecer os problemas do passado e começar uma vida nova diferente, do zero (passo a passo).

- Já não aguento decerto mais o que os meus pais me fazem passar dia após dia, cheguei aos meus limites!

- E parece que as pessoas teimam em fazer sempre o mesmo comigo: Para quê criarem ilusões? Darem falsas esperanças? Prometerem algo que não podem dar?
Porquê? O que sofro já não chega! Será preciso mais para me colocar pior? Caramba, odeio, odeio tanto isto!
Já estou triste, farto, irritado com tudo e como se isso não bastasse ainda têm de simplesmente acontecer desilusões para me colocar pior do que já estou!
CHEGA!

- Não sei se já gostei de outros rapazes, agora que me coloco a pensar nisso, não sei até que ponto já gostei de alguém de verdade que não ele (o primeiro rapaz por quem me apaixonei). Eu acho que talvez tenho um pequenino problema, ou talvez não... conheci-o gostei muito mesmo dele (como nunca tinha gostado de alguém) tudo bem, depois vou conhecendo mais gente, ... e depois mais, e acabo por ficar interessado por vários (Será isto normal? Será que sofro de poligamia? Ou talvez o mais certo é que eu te tenha amado só a ti!) Que dilema..não sei o que pensar?

- Um ano de muita angustia, sofrimento e mau estar... (Para esquecer)
domingo, 8 de dezembro de 2013 - 0 comentários

Sempre o mesmo...


Na terça feira fui almoçar com o rapaz de sábado (Já nos conhecemos a um mês, mas só nos encontramos na última quarta feira) e depois fomos ao wc e ele voltou-me a beijar!
Na quinta feira passei um inferno outra vez...foram os meus colegas de turma na aula de EF os "queridos" estão sempre a mandar bocas e sinceramente já estou farto, estávamos a leccionar a modalidade de basebol e a professora mandou-me fazer de catcher "quem apanha as bolas" , e certos colegas disseram para mim:"Ah vai lá apanhar as bolas, tu só gostas é disso, seu vadio não fazes nada nas aulas...só gostas de estar sentado e  blá, blá blá... e estavam sempre a gozar e a mandar bocas. (Estão sempre a me massacrar e estou a ficar farto disso...e já não sei que hei-de fazer para terminar com dito inferno diário.) Farta-me tudo, farta-me aquelas pessoas, aqueles colegas super irritantes, farta-me quem veja os outros sofrer e não façam absolutamente nada!
O pior é que toda a gente naquela escola, deixam que as pessoas abusem, façam o que querem e isso não pode ser assim, não pode! Se houvesse outra turma de informática era para eu ser mudado, dado o que passei o ano passado, mas felizmente não há! E, na minha escola ligam muito a aparência, se tens dinheiro ou não e muitas mais cenas.... esta visto que fui para escola errada!

E também 5ª feira fomos almoçar, eu e o rapaz... e lógico que eu não estava bem por causa da escola.. e tipo precisava de miminnhos, abraços, beijinhos e ele não me pode dar porque onde estávamos não dava, e tinha mesmo de ser ás escondidas, depois vim-me embora para casa e disse-lhe uma data de coisas... expliquei-lhe que precisava de miminhos, carinho e isso, se não houvesse isso as coisas não iam funcionar muito bem, e que se fosse para isso mais valia estar só e me sentir pior, depois eu perguntei-lhe o que éramos (amigos ou algo mais), a que ele me disse "Nem eu sei... as vezes parece que os sentimentos se apagam em mim", depois perguntei-lhe se gostava de mim, ele respondeu "Sim mas que faltava qualquer coisa e não sabia o quê"....
Depois uns dias mais tarde, ele disse-me: "Não sei explicar, parece que não tenho sentimentos hoje, sinto-me em baixo.Isto dá-me e não sei porquê. Parece que alguém vem e apaga-me os sentimentos. Tipo é como não sentisse nada por ninguém e o único sentimento que fica é a tristeza o resto como não existisse. Eu não estou a sentir nada por ti, isto já me aconteceu com o outro depois de um tempo não estava a conseguir amar-lhe como se só conhecesse a tristeza. Eu fico interessado e começo a gostar da pessoa, desejo  querer estar com ela e namorar....mas tem dias ou é permanente que isto acontece, e também acontece com amigos e amigas" Eu fiquei completamente sem saber o que pensar acerca disso...Horas mais tarde ele disse-me que era melhor ficarmos como amigos (porém desde aí nunca mais me disse nada...). E pronto assim ficamos como amigos...mais uma vez as coisas não resultaram...
sexta-feira, 6 de dezembro de 2013 - 0 comentários

Todos nós...



Todos nós, seres humanos temos o direito de errar. Ninguém é perfeito, nem jamais será... por isso mesmo não devemos julgar o outro que está ao nosso lado pelo que quer que seja, porque nunca saberemos o dia de amanhã, hoje isto acontece-te a ti, mas amanhã poderá acontecer-me a mim, ninguém é melhor que ninguém...ninguém tem o direito de julgar os outros, criticar, humilhar, (...) porque nós todos temos as nossas fraquezas, diferenças, erros, escolhas, cada um é aquilo que é e ponto. É importante todos saberem ver o que está certo e errado, só depois disso é que se aprende a respeitar, a ser-se boas pessoas se não tivermos bons ensinamentos, educação, respeito por todos os seres nunca seremos ninguém...nunca seremos uma pessoa grande.

Ser assim, desta ou daquela forma, não faz de ti uma pessoa melhor ou pior o que faz de nós pessoas dignas é o nosso ser, a nossa essência, a nossa forma de agir, de se comportar, a forma de como lidamos com as adversidades que a vida nos coloca, é preciso saber viver nos dias de hoje...ainda vê-se seres por este mundo que não sabem viver a vida, mais precisamente o contrário, estragá-la...a deles e por ventura também a de muitos... Às vezes é preciso pormo-nos no lugar do outro, vestir a sua pele, passar por um bocadinho do que este já passou, e só assim olhamos à nossa volta e vemos que ninguém merece ser tratado mal, por isso não façamos aos outros aquilo que não queiramos que nos façam a nós... porque hoje és tu a passar por isto, mas depois posso ser eu, façamos do mundo um local melhor para viver-se...Pensemos duas vezes antes de julgar, magoar, criticar uma pessoa, pois certezas tenho que ninguém gosta de se sentir como se fosse lixo, ser enxovalhado todos os dias com termos e mais termos, sentir-se mal, magoado, triste, criticado, julgado pela aparência ou sexualidade, ... ninguém gosta de se sentir assim pois não, por isso faz a diferença, muda o mundo com pequeninos gestos, palavras, atitudes, sê um ser autêntico e verdadeiro para contigo e com os outros.

É necessário aproveitarmos todos os momentos por mais pequenos que estes sejam, não te esqueças que a vida é só uma e que a deves viver, fazer tudo o que desejas mas com limites porque amanhã, amanhã pode já ser tarde demais para fazer aquilo que poderias ter feito hoje, depois com clareza não te sentirás culpado por não teres contribuído para um mundo melhor, mais feliz para todos vivermos em paz e harmonia!
segunda-feira, 2 de dezembro de 2013 - 0 comentários

Pessoas...sempre as mesmas!


As pessoas, pelos vistos são sempre as mesmas inevitavelmente (com alguma pena e nostalgia minha, porque foram pessoas que sempre acarinhei e gostei...que agora tratam-me como me tratam e tem as atitudes que têm para comigo, sou até capaz de cortar relações com essas pessoas, por estas se comportarem comigo de um forma absurda como se fosse anormal) a minha avó hoje quando cheguei à casa dela disse-me que os meus "queridos" pais são bons pais... e eu que daqui para a frente vou ser um homem diferente (dado ter feito as capas - para mim isso não mudou absolutamente nada, as coisas continuam no mesmo estrado que sempre estiveram... ) e a minha tia diz-me que vou mudar...que Nossa Senhora vai ajudar e eu vou melhorar (pura catolicisse... Não acredito nada nessa tanga toda... Porquê que eu saiba nossa senhora não pode converter um homossexual em hetero). Haja ainda muita paciência... Não sei o que vai nestas cabeças ocas...cheias de mofo e sem conteúdo que preste algum...  Eu penso: "Mas vou mudar o quê? Como acreditam na reconversão, depois de tudo." Falam de mim como se tivesse uma doença que é a pior coisa do mundo, é horrível... Anseio tanto que as coisas mudem...mas pelos vistos mais vale esquecer que virá a mudar algum dia! Pelos vistos ainda não perceberam que quem me faz mal são os
meus pais e eles próprios a mim... Quando chegar à altura de se aperceberem irá ser infelizmente tarde...as pessoas só enxergam aquilo que realmente querem ver e é verdade!

Alguns têm sido falsos no sentido em que inventam mentiras, arranjam maneira de ficarem contra mim (os meus pais já fizeram por a minha tia e avó ficarem tristes e desiludidas comigo, pois colocaram as culpas de tudo em mim e eles claro são os pais mais perfeitos e é que sabem tudo, e o que eles dizem está certo - e não há quem contrarie isso).
Também chateie-me com a minha mãe, porque todos os domingos tenho de ir à casa da minha avó senão elas morrem (a minha tia e avó), fogo isto farta-me tanto...eles têm de perceber que com a idade que eu tenho quero é estar com as pessoas de quem gosto e me identifico da família (e não são eles de certeza) , os amigos, ... já não sou já nenhum bebé, estou a caminho de ser homem livre e ter os meus 18 anos... Eles têm de me tratar como tal!

Ainda há uns tempos eu estive a falar com dois primos meus, acerca das coisas da minha vida... sobre o meu curso e o que quero seguir e essas coisas todas... Eu sei o que quero da minha vida, qual o curso que quero seguir, e é claro que quero ser independente dos meus pais (o mais depressa possível) e essas coisas todas, ter o meu próprio espaço e isso tudo... talvez licenciatura ou um CET, tenho de ver bem isso com calma... Tivemos também a falar sobre a minha vida e a questão da minha homossexualidade o ser difícil para os meus pais e para mim, a questão dos meus colegas e da sociedade não estar preparada para algo que fuga à norma "padrão", talvez daqui a 10/15 anos as coisas já sejam melhores! O conselho que eles me deram é para não me expor demasiado como já o fiz, e sei que isso trás más repercussões... os tais rótulos e depois de ficar rotulado é lixado porque depois posso não conseguir atingir os meus objectivos à conta disso, posso não ter trabalho só por ter o rótulo de "gay", o que eles disseram é que devia tentar ser o mais normal possível e me camuflar a fim de ser mais fácil a vida para mim, pelo menos com esta idade, até porque não tenho passado por coisas fáceis ultimamente....Eles disseram para continuar a ser a mesma pessoa mas me camuflar, não me expor demasiado a fim de depois não ter problemas à pala disso! O mal daqui é isto ser um meio pequeno e as coisas serem como são, as pessoas e assim... Pergunto-me agora será que foi certo assumir-me, será que fiz bem, será que deveria ter contado a tanta gente? Será que assumir-se foi bom para a minha vida... Por um lado foi porque saiu um peso de cima, mas quando pensamos nas coisas más acho que algumas coisas foram erradas e fui muito precipitado...deveria ter agido doutra forma, mas eu próprio nem sabia como havia de lidar com as coisas... Eles também me disseram para evitar as coisas em publico tipo beijinhos e tal e que ficasse tudo para a intimidade de mim e da outra pessoa por causa dos rótulos.Eu só tencionava me assumir depois de ter a minha casa e a minha vida organizada, mas saiu-me o tiro pela culatra...e os meus "gentis pais" descobriram e andaram a contar a toda a gente!
Aqui a minha vida não vai crescer nem evoluir...de tudo o que eles me disseram apenas uma coisa: que se lixem os outros, quero la saber o que achem de mim, eu sou feliz assim e tenho orgulho em mim, não vejo qual é o mal de beijar o meu namorado em publico, se os heteros o podem fazer, se é só por serem dois rapazes, é uma extrema parvoíce, amor é amor e além do mais as pessoas não tem nada a ver com a minha vida pessoal!

Eu sei que as pessoas por vezes fartam-se de mim porque estou sempre a falar dos meus problemas e coisas que me acontecem, eu por vezes não tenho outra coisa que falar, daí falar disso... E sei as pessoas não gostam de estar com alguém que se está sempre a queixar...
E muitas pessoas já me disseram para andar para frente e esquecer as coisas todas... mas não consigo ultrapassar... não consigo seguir em frente... Ninguém, ninguém sabe aquilo que já sofri e o quanto isso me marcou, a minha personalidade e forma de ser... só eu sei do meu sofrimento! Não sei a quem pedir ajuda, quero sair deste ciclo só não sei é como, tento manter-me ocupado e tentar não pensar nas coisas mas é inevitável....A única coisa que me faz sentir bem é estar ocupado com teatro e com quem mais gosto, com isso sim não penso em mais nada... só assim os problemas desaparecem todos, e assim foi quando eu dei o meu primeiro beijo.
domingo, 1 de dezembro de 2013 - 3 comentários

Mudar o Mundo... (Vivências de um Madeirense)

#MudaoMundo 

Algures adias encontrei isto (foto abaixo) publicado no facebook de um amigo que também vive na Madeira, situação tal que me chocou de forma que não pude deixar de manifestar o meu desagrado e de ficar indiferente, são coisas que puramente me provocam uma revolta enorme, indignação e tristeza! Daí ter escrito também sobre esse mesmo assunto (texto abaixo).


Para amarmos alguém não interessa o sexo, raça, religião desse, o que interessa é o significado do sentimento amor para nós e para esse alguém.
É fantástico quando aparece alguém e nos faz sentir tão diferentes daquilo que estamos habituados a ser, mudando a nossa perspectiva, a impressão que temos da vida. Alargando horizontes e passando a sermos livres, quando deixamos de ter medo de certas coisas e passamos a enfrentá-las de uma vez por todas.
Não penses que as pessoas que gostam de pessoas do mesmo sexo são diferentes de ti, porque todos somos humanos, todos temos direitos, elas também se amam, também sofrem, também vivem, não sejas homofóbico, deixa de lado os rótulos e os preconceitos, vive a tua vida e deixa a do outro, não critiques essas pessoas só por serem como são... Sobretudo aprende a respeitar a o outro, a aceitar tal e qual como ele é, o que interessa não é esse mero aspecto (orientação sexual), mas sim a sua plena felicidade e concretização pessoal!

Amar alguém do mesmo sexo é hoje em dia, ainda uma das coisas muito criticadas pela sociedade infelizmente, e isso é péssimo... acho que devemos pensar segundo estas linhas: "Porque a opinião dos outros não interessa em nada!", não contribui para o teu bem estar pessoal, dá valor apenas aquilo que consideras importante!
O mais importante nisto tudo é sermos felizes, construirmos a nossa felicidade ao lado de quem amamos, esquecendo o que está a volta, e centrando-nos nos nossos objectivos.
As pessoas não têm o direito de julgar, de magoar, de maltratar, ... apenas devem é de ter uma coisa tão escassa nos dias de hoje: RESPEITO! Todos temos o direito de ser felizes, seja com quem for e como for e ninguém têm nada a haver com isso, nem com a vida pessoal de cada um. Basta!

Chega!!! E é por estas e por outras, que por vezes é um completo nojo viver num sitio destes, onde as pessoas só sabem apontar o dedo e pôr defeitos, não se veem mesmo ao espelho, que autentica vergonha!
Custa tanto ver os jovens tão novos a "dar cabo" da sua própria vida por existirem pessoas tão cruéis que nem respeito sabem ter, que dizem coisas da boca para fora que os magoam profundamente, e que afectam o sistema emocional de qualquer adolescente que vive numa situação desse carácter! Jovens com uma vida inteira pela frente, a suicidar-se por actos irreflectidos, é extremamente desolante e porquê? Por culpa de pessoas que nem o mínimo de amor pelo outro sabem ter... Farta, chega a um ponto limite... que as pessoas não parem de apontar o dedo, só usem rótulos, e tenham a mania de criticar tudo e mais alguma coisa, de pôr defeitos... Os pais e as outras pessoas não podem ditar a vida de um jovem, cada um é aquilo que for e cada um sabe de si.

Que indecência, que sociedade tão estereotipada, será que vamos evoluir? Já não serão horas disso acontecer?
Somos todos iguais, merecemos ser todos tratados enquanto humanos!

Eu gosto de PESSOAS! <3


Texto de: SuperMan-SuperWords
sábado, 30 de novembro de 2013 - 0 comentários

Mais uma etapa de vida...

Hoje foram as minhas capas...sou finalista de 12° ano, foi um dia muito chato…. Fiquei a saber que o colega da minha turma (o renegado) ficou a me espiar para ver como eu estava e com quem estava… deve ter ficado cheio de dores de cotovelo, bem como muitos outros que achariam que eu ia sozinho e solitário no desfile desde a escola até à igreja, mas no final de contas, à última da hora arranjei par, uma rapariga por sinal bastante simpática!

Depois decorreu a cerimónia religiosa ... (Não estava à espera conseguir ir à missa pois, já há imenso tempo que não ia a uma...dado o fato de não me sentir bem, é como se fosse julgado não por Deus mas sim pelas pessoas...e me sentir uma abdominacao, e me sentir deprimido visto não me sentir inserido ali...mas sempre consegui) até diverti-me um pouco e não foi muito secante porque fiz uma coisa que gostava muito, dando assim o meu contributo... E adorei cantar no coro da UMA (Universidade da Madeira), senti-me simplesmente bem mas ao mesmo tempo um pouco nervoso por estar ali...e celebrar uma etapa importante da minha vida, fui o primeiro aluno da escola a benzer a capa...o tempo até que passou depressa!

Após o término da cerimónia fui lanchar ao dolce vita, e depois jantar com a família.
Ao cair da noite, por volta das onze e meia fui para o baile, estive ainda um pouco à espera de um rapaz de da amiga dele…estava imenso frio, ainda esperei uma meia hora e durante esse tempo, foram vários os rapazes que olharam para mim de uma forma do tipo “quero te comer”. Depois finalmente conheci a amiga dele, que me disse que tinha ouvisto falar muito de mim nessa tarde. E, o tempo foi passando, ele abraçou-me, andámos os dois de mãos dadas, trocamos olhares, ... E a certa altura estávamos a passar os dois com amigas e apenas ouço "olha dois paneleiros juntos", que grande novidade, isso já nós (eu e ele) sabíamos! A certa altura fiquei deprimido porque não o podia abraçar muito nem e dar beijos porque o pessoal que lá estava ia armar confusão...
E estava a me fazer impressão ver lá imensos casais aos beijos e trocando afetos e eu não poder fazer tal coisa por causa da sociedade presente, é triste isto pois somos pessoas normais em tudo igual às outras e apenas amamos alguém do mesmo sexo...um detalhe que pouco importa, porque o mais importante é o interior de uma pessoa, a sua essência ... É isso que nos define, nada importa a condição social, orientação sexual, gostos, maneira de vestir-se, etc ... Odeio viver num sítio assim como esta ilha minúscula...tem custado tanto, que sofrimento ... E não é pouco!

Depois quando ele se foi embora deu-me um beijo na boca, e assim terminou a minha noite de finalista do 12º ano. E sinceramente não gostei do baile, foi horrível... A música não era a melhor, e as pessoas que lá estavam tampouco, o que valeu foi a companhia que tive!
sexta-feira, 29 de novembro de 2013 - 0 comentários

E...tudo volta ao mesmo drama!

E parece que existem coisas que nunca mudam...




"Desde o 5º ano que já me chamam de gay, depois começaram a fazer de mim alvo de polémica pela escola e a me pôr fama, tive uma "prima" (porque é adotada, e não gosto nada dela) que inventou um boato sobre mim: "Que eu fazia sexo com sofás e almofadas" (onde nem sofás eu tinha em minha casa na altura) e andou a difundir dentro de um autocarro completamente cheio e rapidamente isso soube-se na escola inteira, já fui filmado a andar e esse vídeo foi para ao youtube com fim de gozar com a minha forma de andar, já gozaram com a minha voz imensas vezes, com a forma de vestir e estar. Também já entraram no meu facebook e escreveram que eu era homossexual e que tinha me assumido à custa de um amigo meu (a minha amizade com ele perdeu-se até hoje, ele era como um irmão para mim), já fui ameaçado na escola com uma navalha e um isqueiro, já me empurraram para o chão e eu lá fiquei caído sem ninguém me levantar nem perguntar se eu estava bem, já me puseram pionés nas cadeiras, já me derramaram uma garrafa de leite em cima da minha roupa, já desenharam um pénis numa folha e deixaram na minha mesa na escola, já se aproveitaram de mim (um colega) que fez-se passar por gay para obter fotos minhas intimas para depois andar a divulgá-las (ele era o único amigo que eu tinha na turma e desde aí cortei relações com ele), (...) entre outras coisas!"

Foi tão horrível já ter passado por tudo isto, custa tanto carregar com estas coisas já desde pequeno, já desde que fui para a primária me punham de parte e iam gozando comigo, (e NUNCA ninguém fez nada e o tempo foi passando e agora estou assim como estou!) É triste, certas coisas que sinto poderiam ter sido evitadas se as pessoas soubessem agir correctamente e isso tudo marcou muito a minha personalidade e pessoa. E sempre que o tempo vai passando e vou sofrendo novamente vem-me à memória todos os tempos antigos e aquilo que já passei até hoje e sinto-me de rastos!

Os meus colegas de turma continuam sempre os mesmos... desta vês foi na aula de Matemática em que era dia de teste intermédio e estávamos então todos no auditório e íamos ver um filme. Entrámos todos e sentamos-nos e como sempre chegaram aquelas pessoas atrasadas, depois a professora não estava a conseguir colocar correctamente o filme porque as legendas estavam a ficar cortadas...e perguntou: "Quem é que percebe disto? Vocês são de informática certo? Alguém que me venha aqui me ajudar que eu de informática não percebo nada!" ninguém na sala se voluntariou até que ouço dizerem "Vai lá tu engenheiro (esse é o meu apelido lá na escola), eles costumam sempre "empurrar" tudo para cima de mim!
E então lá fui eu...desci a escada do auditório e dirigi-me à mesa onde se encontrava o computador... E então fechei o programa que estava a executar o vídeo e tentei procurar outro equivalente que funcionasse. Abri o filme e depois andei meio baralhado à procura das configurações que precisava, pois nunca tinha utilizado esse programa e não sabia como era! Enquanto isso, um colega meu já começou a enxovalhar-me e a criticar-me: "Tu não sabes fazer isso! Saí daí! Tu não sabes nada!" eu respondi-lhe de volta e disse-lhe: "Se achas que sabes fazer melhor tivesses vindo TU!" E ele respondeu-me: "Eu não sei!" Que grande ignorante mesmo...
Estas coisas irritam-me tanto, fui me sentar já irritado, esse colega está sempre com a mania que sabe tudo e adora me criticar e meter-se comigo!

Depois começamos a ver o filme, e a certa altura apareceu um rapaz sem t-shirt (e estava a mostrar o corpo do rapaz, eu até estava apreciar porque ele era lindo e tinha um bom corpo) e esse meu colega mandou uma piadinha (como sempre para pegar comigo e me criticar) achando-se o maior. Via-se o peito do rapaz depois continuou-se a ver o resto para baixo, e quando chegou perto de mostrar a cintura ele disse : "É melhor que a câmara não desça mais senão o Engenheiro fica teso! Olha tem cuidado!" e depois todos começaram a rir e a gozar de mim, eu fiquei tão passado nessa altura, só me apetecia dar-lhe uma estalada, fiquei com uma raiva e ira... apeteceu-me tanto chorar naquela altura (mas tentei controlar) e fugir dali o mais rápido que conseguisse! Mas não enchi-me de coragem e respondi-lhe (num tom grosseiro e bem direto para todos ouvirem) : "Já paravas com piadinha antes que tenhas um processo disciplinar na secretaria da educação..." Depois ainda começaram a gozar mais e a me imitar a dizer isso... fiquei tão fulo! A professora ouviu, e disse-lhe que devia respeitar toda a gente, e parecem (e são) autenticas crianças, que já tinham idade para saber respeitar as diferenças dos outros..." E o meu colega respondeu para toda gente ouvir: "Ah eu odeio paneleiros! Detesto gajos que levam no rabo!" e outro colega meu ainda lhe disse: "Está calado, não armes mais confusão!E se tivesses uma amiga que fosse lésbica ias a desprezar só por isso?" E ele: "Sim! Detesto gays!"

Eu já não sabia sequer o que fazer, fiquei tão chocado e passado! Os rapazes da minha turma só gozam e gozam, e pensam que o que eu digo é mentira...mas vai chegar o dia em que irá ser feita justiça...Só me apetece mesmo é fazer queixa na secretaria da educação (já que pela escola ainda ninguém fez nada de útil pois todos continuam a abusar e a fazer tudo o que querem e entendem), penso que iria ser feito algo pois estou apenas a defender os meus direitos, segundo o documento "Estatuto do aluno"

Capítulo II - Artigo 7º
Ponto 1 - Alínea b)

"Ser tratado com respeito e correção por qualquer membro da comunidade educativa, não podendo, em caso algum, ser discriminado em razão da origem étnica, saúde, sexo, orientação sexual, idade, identidade de género, condição económica, cultural ou social ou convicções políticas, ideológicas, filosóficas ou religiosas;"


Os meus colegas de turma são todos uns estúpidos que não valem nada! Sinceramente pensado bem e friamente fui para escola errada, lá julgam as pessoas muito pela aparência, se tem dinheiro ou não, maneira de vestir, não tem respeito por pessoas com outros estilos, todos fazem o que bem querem e entendem...etc.

Quero tanto um abraço e mimos, isto faz-me sentir um bocado mal, eu tento que não faça mas a verdade é que faz...e não consigo controlar isso...custa tanto ouvir estas coisas e não poder fazer nada... (por exemplo: dar umas valentes bofetadas a cada um que nunca mais se metiam com quem fosse homossexual) ou fazer com que quem não respeitasse os outros fosse expulso da escola e tivesse um processo disciplinar... mas aqui nesta ilha não é assim nem irá ser tampouco.
Julgo que um outro colega meu, aquele que fez-me aquilo à dias na aula de Educação Física deve ser renegado antes insultava-me agora está sempre a chamar-me de lindo e a fazer perguntas de teor sexual, okei... isto não é nada normal, ou quer gozar comigo ou então quer outra coisa! Há dias em que a irritação é tanta...que nem há paciência para aturar gente estupidamente estúpida, retardada e malcriada...gente essa quem nem seres deviam ser, comportam-se e tem atitudes que um ser humano digno jamais terá!
quarta-feira, 27 de novembro de 2013 - 0 comentários

A importância da felicidade!

A felicidade é importante para todos nós...é importante sermos quem somos sem medos, credos, julgamentos, nos sentirmos bem connosco próprios, fazermos aquilo que realmente gostamos, seguirmos os nossos sonhos e o resto não fica para além do que gira à nossa volta!



Nunca, nunca é tarde, lembra-te sempre disso...
Quando vezes a certa altura da vida nos apercebemos que estávamos errados e que não era isso que queríamos...e sentimos-nos zangados connosco próprios, porque não exploramos as devidas hipóteses que tínhamos, deixamos de lado algumas, e simplesmente não lhes demos a devia atenção e importância, depois mais tarde crescemos, a nossa forma de pensar e ver o mundo em redor altera-se e o que acontece é nos arrependermos seriamente que foi o meu caso... agora vejo e de olhos bem abertos que Teatro é a minha paixão sem dúvidas e não Informática...
Desde a escola de artes performativas que deu nos MCA que fiquei fascinado, e sempre adorei ver as telenovelas e perceber os diferentes papéis que um ator fazia numa (bomzinho) e noutra novela (vilão). E quando cheguei ao 9º ano surgiu aquela questão que nos surge a todos: O que escolher? O que é que me vejo a fazer? Eu andava com a mania de que queria Informática porque de fato adorava aquilo (TIC e computadores) mas não saberia muito bem algumas das coisas que me iriam surgir pela frente. E, o resultado do meu teste psico-técnico realizado nesse mesmo ano, deu-me como resultado artístico musical , e fui para informática por achar que era isso que queria, mas agora ao chegar ao 12º ano, vejo que afinal não era isso que queria...nunca tinha experimentado teatro e de facto só comecei no ano passado  e adorei, fez-me sentir mesmo bem, 5*! Agora penso: "que erro, onde tinha eu a cabeça", a psicóloga na altura ainda me perguntou e Teatro? Cantar? Não gostas? ... eu respondi que adorava cantar porque só tinha experimentado isso e que Teatro não sabia se gostava... simplesmente por falta de informação, por ter também um pouco de medo dado os meus pais não acharem isso ser vida digna para alguém, e  acabei por encolher os ombros e disse que ia para informática!
Eu acho que as pessoas deveriam ter a oportunidade para experimentar várias profissões e só depois decidir aquilo que se veem a fazer num futuro próximo, pois assim tomam-se decisões plenamente conscientes e acertadas.
Eu nem sou bom aluno a Matemática nem a Programação tampouco (não tenho raciocínio lógico nenhum e não é algo que me motive) Eu adquiri foi um dom para as letras (adoro escrever e sou muito bom nisso) e por incrível que pareça isso só aconteceu depois da minha depressão, foi com esta que consegui desenvolver e ir aperfeiçoando aos poucos esta grande habilidade e gosto pela escrita!

As pessoas não compreendem de facto a importância da felicidade e de alguém tem para mim,  poder estar com alguém para mim é a melhor coisa do mundo, vale mais do que estudar! Pessoas da minha família estão sempre a me dizer: "Estuda e esquece tudo o resto, dedica-te apenas à escola, vais ter tempo para decidires o que queres para a tua vida, ainda não tens idade para saberes o que queres." (Passo-me completamente com essas coisas, caramba, as pessoas nem sabem o mal que me estão a fazer ao dizer-me essas coisas que magoam imenso) A escola para mim não é a coisa mais importante do mundo, mas sim ser amado, ter alguém, ter carinho, amor, felicidade, amizade, ternura, afeto, (...) estar bem comigo próprio e me sentir bem, um rapaz feliz e realizado!

Ninguém compreende ao certo aquilo que eu sinto cá por dentro, às vezes nem eu próprio sei o que estou a sentir... Fazer teatro faz-me arrebitar, me sentir bem, é o meu porto de abrigo, é onde posso aliviar todas as mágoas e tensões, ser quem eu quero e entendo, é onde me identifico realmente, é onde sinto que pertenço, é um mundo onde posso ser quem sou sem problemas, medos ou julgamentos, é de facto uma enorme paixão, é algo tão divino que me faz sentir alegre e feliz, posso tanto expressar a minha raiva, tristeza, revolta, frustração, angustia, receio, medo, arrogância, bem como posso expressar a minha felicidade, alegria, bem-estar, harmonia, paixão, amor, amizade... posso decidir ser alegre ou triste, posso fazer do meu papel a minha vida diária de frustração, angústia e sofrimento, um espelho de reincidências, uma espécie de ciclo vicioso sem saber onde fica a saída, (…) ou posso ser a pessoa alegre, feliz, bem disposta, contente, grata, humilde, fofinha, carinhosa,… de sempre, que por detrás têm uma história de vida de grande sucesso, mas também de marcas profundas que jamais sairão e se esquecerão… Uma história de vivência, muito desalento e sofrimento, porém são essas coisas que o foram tornando na bela pessoa que ele é hoje, é graças a isso que ele é assim…autêntico, original, onde tal e qual ele existe uma pequena, quase escassa minoria. Cada um recebe de mim a parte que cativar...boa ou má. Existe a liberdade de ser-se “nós próprios” ou então passamos a encarar uma personagem que pouco ou nada está relacionada com a forma de ser da pessoa em questão, é todo um trabalho de esforço árduo, dedicação, paixão e muito gosto pelo que se faz acima de tudo
Teatro é encarado por mim como uma terapia, um todo crescimento de saberes nas diversas áreas que auxiliam a construção importante de pessoas capazes para lidar com a vida, o mundo em geral, colocando-se em variadíssimas situações, ajuda também a adquirir competências importantes e contribui sem dúvida para um melhor desenvolvimento pessoal.
Amo TEATRO!